segunda-feira, 2 de maio de 2011

Baile de Páscoa



video



Uma noite de muitas revelações :)


Para os corticeiros que não puderam estar presentes, aqui fica o registo.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Sugestão :)



Aqui fica uma sugestão para um passeio domingueiro. A paisagem é deslumbrante, a época é a mais propícia para essa actividade. Desde a aldeia passando pelo castro, descer à ponte romana e subir ao castelo de Algoso. Vale a pena.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Plantação de árvores


Com o apoio da junta de freguesia , as Puliteiras de Valcerto tomaram a iniciativa de fazer plantações de várias árvores ao longo da aldeia. Os paralelos deram lugar a árvores de fruto, tendo como grande objectivo criar sombras e dar um ar mais airoso ao local. Aos poucos vamos contribuir para que a aldeia fique mais graciosa. A ajuda de todos será crucial.


domingo, 2 de janeiro de 2011

A matança do porco - 2010


Aqui fica o registo de mais uma tradição que os jovens recuperaram. Todos os anos no dia 26 de Dezembro faz-se a matança do porco. Tradição aliada a muito divertimento ao longo do dia.























quarta-feira, 24 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

quinta-feira, 4 de março de 2010

Papoilas


Quando chega a época das colheitas lá estão as papoilas exibindo-se bailando ao som do vento cobrindo os campos de um manto vermelho.

Outrora deliciava-me com bricadeiras tão singulares - " Ó Cidália vê lá ver se acertas, é macho ou fêmea?" Apanhavamos as popoilas ainda em botão e antes de abrir e ver a sua tonalidade faziamos esta brincadeira. Se fosse vermelha era macho, se fosse rosa era fêmea...






Um dia a minha mãe ensinou-me a fazer bonecas com papoilas, adorava-as simplesmente... com as pétalas invertidas e atadas com um fio, as bonecas ficavam com imenso glamour. Numa tarde estava com os meus pais no Vale, já nã me recordo ao certo, mas lá estava eu a fazer as benditas bonecas de papoilas, como não tinha nada de jeito para atar as papoilas, não tive alternativa e pus-me a descoser a bainha da saia... Quando no caminho para casa, lembro-me de ficar para trás, dando bastate avanço aos meus pais para que a minha mãe não desse pela minha habilidade. Lá ia eu com algum jeito para que não se notasse que a bainha estava naquela figura. Certo é que ela já se tinha apercebido e quando cheguei a casa é que foram elas... esse dia almocei duas vezes...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Ilda e António de visita a Valcerto

"O largo da aldeia......
Onde se brinca, se mata o porco, se reunem as gerações e onde a tendeira faz o seu negócio.


"Ó freguesa, está tanto frio, não quer levar um edredonzinho para aquecer a cama?" Uma das compradoras da foto ainda não está convencida que a vassoura seja mais eficaz que as giestas que traz debaixo do braço.

O texto é da autoria da Ilda e as fotos do António.


Mando um enorme abraço para os dois, estes que são amigos da terrinha. Aliás ainda os vou convencer a mudarem-se para cá de vez...casas abandonadas e com vontade de serem reconstruidas não faltam.

Estes nossos amigos residentes em Coimbra sempre que podem vêem visitar os transmontanos.

Desta vez passaram também por Valcerto onde provaram as rosquilhas e conheceram um pouco mais da aldeia. Quando de passagem na visita à igreja, lá no largo da aldeia, estava a tendeira Tia Quina, então o António não resistiu e registou o momento. Bem o marido da tia Quina já pensava que ele era inspector da ASAE... grande filme!!


Obrigada pela vossa amizade.
E é com o nosso Pedro que vou começar a retratar também personagens da nossa aldeia... cá não faltam pessoas com grande carisma no que respeita à arte (escultura, pintura, dança, literatura(poesia)) ou no desposto...

O nosso atleta... o nosso orgulho.


Nome : Pedro Miguel Rodrigues

Nascido a 13-04-1978
Maior ambição ser campeão olímpico da maratona

Locais onde já correste?
Pelo país todo e em 2002 fui à madeira (campeonato da Europa de corrida de montanha onde fui 20º classificado e Portugal foi 4º por equipas) e a Insbruck- Áustria campeonato do mundo de corrida de montanha, onde fui 27º classificado, sendo o melhor português). Em 2009 estive em Villejuif- Paris onde ganhei uma prova de 10 km.Hoje, depois de tantos anos no atletismo, desde a minha juventude e já lá vão mais coisa menos coisa 15 anos a correr, posso dizer que eu sou a corrida.Não consigo ver a minha vida sem ser a correr.

Porque começaste?
Tudo começou na escola onde comecei a perceber que tinha queda para o assunto. Depois mais tarde já eu tinha uns 20 anos comecei a pensar em levar o atletismo mais a sério, tendo começado na equipa do Ginásio clube de Bragança, mas como se trata de um desporto onde se sofre muito e é preciso ter muita força de vontade e treinar todos os dias para se conseguir resultados, andei alguns anos no pára arranca, ora treinava hoje, amanhã já não treinava. Depois de tanta frustração pelos resultados das provas, pois sem trabalho nada nos é dado de mão beijada, lá comecei aos poucos e poucos a engrenar e a ser mais disciplinado nos treinos tendo os resultados começado a aparecer, culminando no ponto mais alto desta aventura em 2002, em Insbruck onde fui o melhor de Portugal, tinha eu 24 anitos! No ano seguinte a senda dos bons resultados continuava e atingi o meu melhor resultado à meia maratona em Esposende, com 1h08m44s, tudo isto com um único treino por dia, mas no mês seguinte por altura da Páscoa adoeci, então fui perdendo o fulgor, tentava ir correr mas as pernas fraquejavam e não tinha outra solução senão parar. Assim andei debilitado cerca de um ano e ainda hoje continuo sem perceber o que aconteceu (contudo tenho as minhas suspeitas...). E assim foi, entrei em queda livre, sendo o trabalho por turnos ao qual no início foi difícil habituar-me o principal factor de desmotivação, e os anos foram-se passando até hoje, tendo-me passado pela cabeça deixar de correr e ainda tentei levar esse intento por diante, mas passado alguns meses o bichinho que estava adormecido lembrou-se de dar sinal de si e lá comecei eu novamente a sonhar! Como na vida só aprendemos com os erros, no início de 2008 meti-me numa aventura de correr uma maratona (42195m) o resultado só poderia ser um, andei cerca de um ano para recuperar das mazelas, pois neste tipo de provas é preciso ter-se muito treino para se conseguir sair bem. Recuperado deste tremendo erro de correr a maratona, a minha fé renasceu e aos poucos tenho vindo a melhorar a minha performance, estando a minha motivação mais alta do que nunca. Agora é uma questão de tempo até atingir essa maior ambição, pois treinando da maneira que ando a treinar, os resultados acabam por aparecer naturalmente. Mas mesmo que esse tão ansiado objectivo nunca se venha a concretizar, não será por isso que vou ficar triste, pois não há maior alegria do que calçar umas sapatilhas e sair porta fora correr!

Porquê esta paixão!?
Não é fácil responder, mas passados estes anos todos a correr posso apontar as razões: Hoje percebo que o correr surgiu inevitavelmente na minha vida como uma resposta aos problemas, ainda que eu na altura não me tenha apercebido disso, pois como vem sendo dito pelos cientistas, só estamos conscientes de nós cerca de 5 a 10%, pois estou em condição de afirmar que não existe maior anti-depressivo do que fazer desporto e tenho a certeza de que se as pessoas começassem a fazer mais desporto, a sua saúde melhoraria a olhos vistos, mas como o ser humano é preguiçoso, prefere engordar e depois andar com certas dietas que só pioram a sua saúde. Talvez seja um sinal dos tempos, pois nunca se viu tanta ervanária ou dietética ou o raio que o parta, como hoje. QUEREM EMAGRECER? PONHAM ESSE CÚ A MEXER! Outra razão, não menos importante é o facto de conseguir manter um peso estável, mesmo comendo de tudo, contudo sem cometer grandes excessos. A questão do peso é fundamental para mim, pois não me estou a ver com 50 anos e uma barriga que mais parece um barril de cerveja, como tanto se vê por esse mundo fora, dando a ideia que é natural ficar-se assim. Pois bem, para mim não é nada natural. Essa ideia não entra no meu espírito!
Força pessoal, não desistam dos vossos sonhos, pois o sonho comanda a vida!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

...mais um Ramo


A tarefa dos mordomos depois de concluída a missa é leiloarem os ramos enfeitados com as rosquilhas.
O Nilton era um dos mordomos, o qual desempenhou bem o seu papel.


O Cupertino também deu uma ajudinha.



Embora o frio fosse muito as pessoas não arredaram pé.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010



Pessoal OBRIGADA pelas mensagens...!
A todos um bom fim-de-semana.






quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Quem é quem?

...tirada em 1989, o fotógrafo é desconhecido e a fotografia foi facultada pela minha prima Celina.
Adoro a foto.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

"Coboiada"


... qual filme de acção qual quê... nada se igualava à nossa brincadeira. A cowboyada era a brincadeira onde entravam rapazes e raparigas, aqui ninguém era excluído. Não é que o nosso Valcerto se assemelhasse ao faroeste mas era de todo a brincadeira preferida das nossas longas tardes. Uns simples pausinhos faziam de pistolas e havia quem se atrevesse a fazer arcos e flechas também com a ajuda de pausinhos e fios... O pessoal era dividido em dois grupos (os bons e os mau) depois procuravamos os nossos esconderijos, normalmente junto à praça em casa abandonadas, ou locais onde ninguém se lembrasse de ir. A brincadeira podia demorar tardes inteirinhas se ninguém quisesse sair do esconderijo para não ser visto pela equipa adversária e ser morto no mesmo instante. A equipa vencedora era a que tivesse menos baixas no final do jogo. Aquilo era mesmo de profissionais, quando alguém se lembrava de sair do esconderijo de forma sorrateira de costas coladas às paredes e de pistola em punho... a intenção era entrar no campo do adversário e matar todos quantos vissem...! Isto dito desta forma até parecia verdade. No final havia sempre uma ou outra discursão, pois ninguém gostava de perder!!! Em breve, e mais importante que tudo é que seriamos de novo todos amigos..

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O Ramo e as rosquilhas!


... tá aí mais uma festa do Ramo onde a rosquilha é a grande anfitriã!!

São deliciosas e recomendam-se. Dia 14 de Fevereiro toca de dar um pulinho a Valcerto e comprar uma prenda bem original à namorada, uma rosca ou um ramo de rosquilhas... ;-)

O Ramo realiza-se anualmente no fim-de-semana que antecede o Carnaval, este ano coincide ocasionalmente com o dia de São Valentim. Os tempos já são outros e as tradições acabaram por se perder, pelo menos algumas, a corrida da rosca era sempre aguardada com alguma ansiedade, pois vinham jovens das aldeias mais próximas disputar o grande prémio. Pedro e Nilton lanço-vos o repto para este ano como mordomos irem repescar esta tradição tão caracteristica deste dia.
Uma outra tradição e competência dos mordomos, que ainda hoje se realiza é a feitura das rosquilhas para depois mais tarde enfeitar vários ramos, os quais poderão ser de oliveira ou outros mais ornamentados trabalhados em madeira e depois enfeitados com as saborosas rosquilhas. No final da missa esses ramos são leiloados.
Fica o convite para quem nos quiser visitar ...

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Algumas fotos tiradas no castro de Valcerto

No topo... não recomendado a pessoas com medo de alturas!!! Eu não me atrevi...


A grande saga da Ilda e do António a descer o fraguedo.

Pode ver-se lá ao fundo o Castelo de Algoso.
... e a ponte que liga os concelhos de Mogadouro e Vimioso.



Grande amontoado de pedras que por lá ainda se encontra.

... um local a visitar.







quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A casa da tia Lucinda "Guerra"

Esta era a casa da tia Lucinda, casa essa com uma fachada bem curiosa. Hoje já em ruínas faz-me reviver cada episódio das nossas brincadeiras de criança. A casa colava com a casa dos meus avós, daí estarmos tão em contacto com ela. Nas paredes todos os anos se renovam as "chouriças", bem gostavamos nós de fazer colares de "chouriças", faziamos correr um fio com a ajuda de um pausito pelo meio delas, depois de prontas, até faziamos passagem de modelo com elas dependuradas ao pescoço... Na sua varanda, tal como se pode ver na foto, estava sempre dependurado um saco, tal como ainda hoje está . Voltas que demos nós à cabeça para saber o que poderia conter no interior esse bendito saco. Nunca o soubemos e o medo de sermos apanhadas em flagrante sempre nos impediu subir as suas escadas e descobrir o grande mistério... A tia Guerra era sem duvida uma grande mulher... Lembro-me dela muito vagamente e com alguma saudade... Foi também com a ajuda das mão dela que nasceram muitas crianças, pois a tia Lucinda era a parteira lá da aldeia...

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Ribeira de Angueira




(...)"O rio Angueira ou Ribeira de Angueira é um rio internacional que nasce em Espanha perto da vila de Alcanizes. No seu percurso até desaguar no Sabor, entrando em Portugal em São Martinho de Angueira, freguesia do concelho de Miranda do Douro, atravessa, depois, o concelho de Vimioso, passando por Angueira, Serapicos, São Joanico, Campo de Víboras, Uva e Algoso.

Uma das espécies típicas do rio Angueira é o lagostim de "pata branca", cuja população tem vindo, nos últimos anos, a diminuir. Actualmente, esta espécie corre mesmo o risco de extinção.

Ao longo do percurso do Rio Angueira, vários açudes armazenam água que é utilizada, durante o Verão, para regar as hortas situadas nas suas margens. Ainda há pouco tempo, a água destes açudes fazia girar os vários moinhos de água que moíam trigo e centeio. Junto dos moinhos de Terroso, da Edra e da Senhora, todos em Angueira, está a casa do moleiro, uma construção em xisto, de dois pisos, que era utilizada como casa de habitação da família do moleiro. Para além destes, havia ainda no termo de Angueira os moinhos do Gago, de Telhado e da Nalsa/Ribeira de Baixo que se encontram hoje em avançado estado de degradação."

in Wikipédia


... a caminho da ponte romana















... ... hoje, e depois de tanta chuva, de certo que o Angueira leva mais água...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Demarcação do seu termo

(...)"Começa onde chamão ao posso do Arguarial no rio de Engueira e dahi vai direito ao olmos que chamão o Cortinheiro e dahi vem a Eira que chamão Dianção donde esta huma crux em duas penedas e dahi vai direiro a hua peneda piquena no Cabeço dos Servos e dahi cortado aos penedos de Ramos e Costa pella encruzilhada pella portella das Carriças donde esta hum marquo e corre pella rodeira de Forno Telheiro e Fonte do Nazo donde esta outro marquo com duas cruzes e dahi corta ao Cabeço de Domingos Romão adonde esta hum marquo no mesmo caminho que se divide os termos e dahi corre aos Olmos do Cabeço de Domingos Romão e dahi corre lombo abaixo aos tres sobreiros que ficão auguas vertentes ao poente de Val Certo e dahi corre ao Cabecinho de João Ferreiro lombo abaixo e sobe outra vez ao dito Cabeço de João Ferreiro e dahi vai a ladeira de Orfoo lombo abaixo direito ao fundo do ribeiro da Pallameda e dahi corre lombo asima direito ao simo da passar de Igreja e dahi lombo abaixo direito a malhada da Vaquas donde esteve hum cazalinho donde se divide o termo da villa de Algoso e o deste lugar e o da Saldanha"

Arqueologia, etnografia e arte - Tomo IX
Francisco Manuel Alves, Abade Baçal